Pane seca pode trazer prejuízos ao veículo e ao bolso

Data: 31 de maio de 2018

3-01062018-minEnquanto a greve dos caminhoneiros não se encerrar e o abastecimento de combustíveis nos postos não voltar ao normal, muitos motoristas ainda podem ser surpreendidos com uma “pane seca”. Pensando nisso, o CESVI Brasil/MAPFRE (Centro de Experimentação e Segurança Viária da MAPFRE) preparou algumas dicas que podem ajudar o condutor a evitar possíveis prejuízos.

De acordo com o superintendente técnico do CESVI Brasil/MAPFRE, Emerson Feliciano, a pane seca ocorre quando o veículo roda por muito tempo e consome todo o combustível presente no tanque. “Isso acontece porque a bomba de combustível deixa de ser refrigerada, ou seja, o tanque não tem líquido o suficiente para manter a temperatura da bomba e aos poucos ela vai superaquecendo e impedindo o funcionamento correto do veículo”.

Outro ponto importante ressaltado pelo especialista é de que a reserva do veículo não é um reservatório à parte, ele representa o nível do combustível. “Existe um sistema de boia e um variador de resistência dentro do tanque, que alerta o motorista sobre quantidade de etanol, gasolina ou diesel presente no veículo. Além disso, dirigir com o ponteio na reserva pode mandar sujeira para o sistema de injeção”, afirma.

Confira abaixo algumas dicas para evitar a pane seca:

• Fique alerta ao painel! O nível da reserva pode variar entre 5 e 10 litros, dependendo do modelo do veículo.
• O ideal é de que o motorista mantenha o nível de combustível próximo ou acima do ¼ do volume do tanque do veículo.
• Confira no manual do proprietário quantos litros cabem no tanque de combustível do seu veículo.
• Evite ficar na reserva.

A pane seca no Código de Trânsito Brasileiro prevê multa de R$ 130,16 ao carro que parar na via por falta de combustível, e ainda a remoção do veículo e quatro pontos na carteira. Porém, vale lembrar que a penalidade está suspensa desde a última quinta-feira, 24/5, em São Paulo, devido à paralisação dos caminhoneiros.

Por: Redação Na Boléia

Data: 31 de maio de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.