Endoscopia automotiva ajuda a identificar problemas no desempenho

Data: 30 de maio de 2018

2-1-30052018-minVocê já ouviu falar sobre “Endoscopia Automotiva”? É um procedimento que identifica problemas no sistema de injeção como perda de desempenho e consumo excessivo de combustível.

Conforme explicou Roberto Piva, Gerente Nacional de Manutenção da Campneus, Revendedora Oficial da Pirelli, o nome do serviço é parecido com o procedimento médico realizado em seres humanos devido às semelhanças no trabalho. “Durante a endoscopia médica, os profissionais conseguem identificar os problemas de saúde das pessoas com a introdução de um cabo com uma câmera na ponta no sistema digestivo. No automóvel, funciona da mesma maneira: introduzimos no sistema de injeção um equipamento de última geração para identificar quais componentes estão contaminados com sujeiras que estão prejudicando o motor. Após diagnosticarmos o problema, mostramos ao proprietário qual o ‘melhor remédio’ para tratar esse problema”, afirma.

Piva ressalta que a endoscopia é realizada previamente para a identificação de quatro problemas:

• Contaminação dos bicos injetores: Os bicos injetores têm a função de pulverizar o combustível dentro do cilindro do motor. Quando estão sujos, acabam injetando o combustível em excesso, ocasionando aumento do consumo e falhas no funcionamento do motor;

• Contaminação do corpo de borboleta: O corpo da borboleta ou TBI é responsável por permitir a passagem de ar para o motor durante a aceleração. Em veículos com acelerador eletrônico, o acúmulo deste resíduo compromete a abertura da “borboleta”; prejudicando o desempenho do motor;

• Contaminação do controlador de marcha lenta: O controlador de “Marcha lenta” como seu próprio nome informa, é responsável por manter o motor em funcionamento em baixas rotações. Fica localizado junto ao corpo de borboleta, permitindo passagem de ar por um pequeno “furo”;

• Carbonização: a formação de depósitos escuros como “borras”, manchas nas partes internas do motor (pistão, válvulas e cabeçote), possuem o aspecto seco e duro.

O tempo de duração do serviço prévio é de dez a 15 minutos e deve ser feito por um profissional treinado tecnicamente.

“Após o diagnóstico, é indicada a limpeza completa do sistema de injeção que engloba quatro serviços: descarbonização na câmara de combustão e componentes, limpeza do controlador de marcha lenta, limpeza do corpo de borboleta e limpeza do bico injetor. São procedimentos que garantem benefícios, como a redução de até 5% no consumo de combustível, reduz a emissão de poluentes, devolve o desempenho perdido e evita despesas com trocas prematuras de componentes de injeção”, finaliza o executivo.

Por: Redação Na Boléia

Data: 30 de maio de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.