Saiba o que pode reduzir em muito a vida útil dos pneus

Data: 31 de agosto de 2017
Postado em: HOME SLIDESHOW, Pneu

1-01092017Quem nunca, ao estacionar, arranhou as rodas ou calotas ou mesmo as laterais dos pneus?
O que muitas pessoas desconhecem é que esse simples deslize pode reduzir a vida útil dos pneus. A equipe do serviço de atendimento ao cliente da Continental Pneus no Brasil contabiliza anualmente cerca de 200 registros relatando pneus danificados em razão de impactos contra as calçadas. Desse volume, 25% envolve um modelo bem específico: os pneus de vans. Como essa aplicação exige que os motoristas se aproximem constantemente das calçadas para o embarque e desembarque, a lateral desses pneus costuma sofrer com roçaduras que arrancam a borracha.

Aparentemente inofensivo, o roçamento do pneu contra o meio-fio pode arrancar o protetor de rodas, causar desgastes e cortes nas laterais, além de bolhas, formadas quando a lona da estrutura se rompe, permitindo que o ar empurre a parede de borracha.

“As bolhas são muito perigosas, pois podem aumentar de tamanho e se romper a qualquer momento, causando uma perda súbita de pressão. Elas não podem ser ignoradas de forma alguma e o seu surgimento inutiliza o pneu que deve ser substituído imediatamente”, conclui Rafael Astolfi, gerente de assistência técnica da Continental Pneus.

Segundo ele, embora alguns consumidores e até mesmo técnicos possam inicialmente pensar que se trata de um defeito de fabricação, isso é descartado quando se verifica que a perda de material ocorre apenas na face externa e não interna do pneu, o que evidencia um dano por mau uso.

Para amenizar os efeitos causados aos pneus e às rodas pelo atrito com o meio-fio, os engenheiros desenham laterais mais arredondadas para os modelos para aplicação em vans. Elas são projetadas levemente para fora justamente para impedir que as rodas toquem as calçadas.

O mesmo princípio é adotado para os pneus de ônibus urbanos, como no Conti Gol Urbano. Fabricado pela Continental, ele possui uma camada mais espessa de borracha em suas laterais que chega a se desgastar em razão da intensidade e da frequência do toque dos pneus contra as calçadas.

No caso dos modelos ultra-high performance (UHP) para automóveis esportivos, a alternativa para evitar os danos às rodas é um pouco diferente: adiciona-se às laterais, próximo ao flange da roda, um ressalto de borracha chamado de protetor de rodas (flange-rib). Nos pneus da Continental a presença do flange-rib é evidenciada pela inclusão das letras FR na denominação do produto. Por exemplo: 225/45 R17 91W FR ContiSportContact 5 MO.

Embora importante, nem todos os pneus para automóveis possuem esse recurso, pois ele aumenta a massa e, por consequência, a resistência do pneu ao rolamento, o que reflete no consumo de combustível do veículo. Técnicos capacitados de revendas oficiais podem auxiliar os consumidores a verificar a presença ou não do flange-rib em um pneu.

Pneus e rodas em mau estado: quais os riscos

Acidentes de trânsito, em geral, têm várias causas: irresponsabilidade do motorista, má conservação das estradas e também falta de manutenção e má conservação dos veículos.
A má conservação dos pneus e rodas dos veículos é um dos fatores que ajudam a aumentar esses números. Além do risco de acidentes, circular com pneus e rodas em mau estado pode provocar multas: o motorista é penalizado e acumulará pontos na CNH. Daí a importância de manter seu carro sempre em boas condições.
Na verdade, há muitas normas que ainda são desconhecidas por boa parte dos motoristas. Pneus carecas e desalinhados, portanto, são razões para penalização. Embora não haja uma norma específica para a condição dos pneus, o inciso XVIII do artigo 230 da lei 9.503, de 23 de setembro de 1997, define que conduzir o veículo em mau estado de conservação, comprometendo a segurança, ou reprovado na avaliação de segurança e de emissão de poluentes e ruído, prevista no art. 104 é infração grave, penalizada com multa e retenção do veículo para regularização. Atualmente, a multa é de R$-195,23 e o motorista ainda leva 5 pontos na CNH.

Alto risco de acidentes

Ter “pneus carecas” significa que a banda de rodagem, que é a parte do pneu que fica em contato direto com o solo, já está desgastada a ponto de estar lisa. Existem sulcos na banda de rodagem que garantem uma maior aderência do pneu com o asfalto, permitindo um maior controle do automóvel, evitando que derrape. De acordo com a Goodyear, para saber se os pneus de um automóvel já estão desgastados e oferecendo risco de acidentes, basta verificar os indicadores de desgaste com as letras TWI, localizados no alto costado. Caso os sulcos tenham uma profundidade inferior a 1,6 mm na banda de rodagem, é hora de trocá-los.

Alinhamento e balanceamento

Trafegar com as rodas desalinhadas e em desequilíbrio (falta de balanceamento) também coloca em risco a segurança do próprio veículo e também de outros, estando sujeito às mesmas penalidades por estar com os pneus carecas. A falta de balanceamento causa perda de tração e estabilidade, bem como dificuldade em manter o veículo na rota correta. Um indicador de que o veículo pode estar precisando de balanceamento e alinhamento é a ocorrência de vibração no volante ou barulho anormal a certas velocidades.

Por: Redação Na Boléia

Data: 31 de agosto de 2017
Postado em: HOME SLIDESHOW, Pneu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.