Pesquisa mostra defasagem de fretes em 2017

Data: 15 de fevereiro de 2017

3-16022017A NTC & Logística revelou dados da primeira pesquisa de defasagem dos fretes de 2017, que mostra uma defasagem de 24,83% nos fretes de carga lotação. Para a carga fracionada, o número é de 11,77%. Em mais de 80% das empresas pesquisadas, o faturamento do último ano caiu em média 19,13%.

A informação foi divulgada pelo assessor técnico da entidade, Lauro Valdívia, na primeira edição do CONET&Intersindical, que aconteceu no Centro-Oeste do País, com a presença de um grande número de empresários e líderes do setor de Transportes Rodoviário de Cargas (TRC) do Brasil.

A pesquisa nacional, realizada em janeiro deste ano, teve colaboração da Agência Nacional de Transportes Terrestre (ANTT). Os aumentos de custos e a redução drástica do volume de carga, de acordo com o índice ABCR de movimento de veículos pesados pelas praças de pedágios, entre outros fatores, são apontados pela pesquisa como algumas das questões que contribuíram para a queda no faturamento do setor.

A pesquisa com os números da defasagem foi aprovada pelo plenário e destaca que, “é importante observar a existência de custos suportados pelas empresas e que necessitam ser cobrados conforme a especificidade do serviço, como é o caso do frete valor, GRIS – Gerenciamento de Risco, generalidades como a Taxa de Restrição de Trânsito – TRT, dentre outras, inclusive as de caráter emergencial e transitório como é o caso da EMEX – Emergência Excepcional, criada para cobrir os custos decorrentes da situação de falta de segurança, escoltas urbanas e do aumento no valor da cobertura securitária para as cargas nas modalidades CIF e FOB, cujo destino seja, por exemplo, nesse momento, a cidade do Rio de Janeiro até que termine o estado de beligerância que a assola, e, cuja face mais cruel para o transporte, é o roubo de carga”.

Por: Redação Na Boléia

Data: 15 de fevereiro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.