Na Boléia

Apaixonados por Caminhões

Scania aprimora soluções e entrega mais economia na sua Nova Geração

Apesar dos impactos da crise sanitária na economia global, a Scania continua otimista para 2021 e aposta em um crescimento consistente do País. A empresa já iniciou o novo ciclo de investimentos para o período de 2021/24, que contempla recursos da ordem de 1,4 bilhão de reais, a serem aplicados, especialmente,  na modernização da planta de São Bernardo/SP, na aplicação de novas tecnologias, na oferta de novos serviços e na continuidade das pesquisas de novos combustíveis alternativos.

O ano de 2020 trouxe ensinamentos para o resto da vida. Aprendemos como nunca em vários sentidos, e o mercado precisou passar por mudanças que chegariam nos próximos anos, como as vendas virtuais. Houve também uma retomada verde, que acelerou a busca por alternativas sustentáveis, e nossa solução a gás chegou a 70 unidades vendidas.Por outro lado, o relacionamento com os clientes atingiu um nível altíssimo de parceria; e ficou comprovado que a Scania e sua rede atuam de forma diferenciada na relação com eles”, afirma Roberto Barral, vice-presidente das Operações Comerciais da Scania no Brasil.

Segundo ele, a continuidade da retomada da economia nacional será puxada, mais uma vez, pelo agronegócio e pela recuperação produtiva da indústria.

A visão é compartilhada por Silvio Munhoz, diretor de Vendas de Soluções da Scania. “É lógico que a pandemia continua e segue impactando o mundo, mas o setor de transportes iniciou uma retomada a partir de agosto passado e não há sinais de desaceleração. O agronegócio segue forte. De acordo com projeções da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção total de grãos na safra 2020/21 deverá chegar a 264,8 milhões de toneladas, alta de 7,9 milhões de toneladas se comparado com a safra 2019/20, quando a colheita foi de 256,94. Do outro lado, a recuperação da produção industrial vem demandando muitos caminhões e fazendo a economia girar. O Banco Central aposta em um crescimento de 5% para este ano. Seguiremos dando todo o apoio aos clientes”, complementa Munhoz.

Diante desse cenário, o aprimoramento das soluções oferecidas ao cliente é um dos focos da companhia. Umas das novidades para a Nova Geração, lançada em 2018, é o Acelerador Inteligente Scania, que passa a ser vendido pela rede para toda a linha. Com a solução, a empresa garante que a economia de combustível da Nova Geração chegará a 20%. 

Veículos equipados com o acessório farão parte da linha 2021/2022, já estão disponíveis para compra na rede de concessionárias e serão entregues a partir de 1.º de agosto deste ano.

Os 20% de economia de combustível que a Nova Geração passa a alcançar é dividido da seguinte forma: motor Euro 5 com sistema de injeção de alta pressão (8%), aerodinâmica externa da cabine (2%), inovações da caixa de câmbio Scania Opticruise (2%), Scania Actcruise (3%) e os 5% do Acelerador Inteligente Scania.

O Actcruise, a evolução do controle de cruzeiro Ecocruise, foi introduzido na linha 2020/2021 e já é item de série.

O Actcruise atua por meio de posicionamento via GPS e um mapa topográfico integrado ao módulo de conectividade para gravar rotas e aproveitar aclives e declives de maneira mais eficiente.

Economia comprovada por testes

Conforme a empresa, esta economia adicional de 5% do acelerador inteligente foi comprovada em testes de campo realizados com clientes em várias condições e operações distintas, nas principais aplicações rodoviárias. Foram utilizados caminhões com carretas tipo “vanderleia” e LS (três eixos), composições nove eixos (rodotrem) e diferentes tipos de tração como 6×4 e 6×2, no transporte de grãos, carga frigorificada, combustíveis e outros. Todo o resultado foi validado pela Engenharia Scania em mais de 500 mil km de demonstrações por topografias variadas e diversas regiões do país.

O acelerador inteligente tabém se torna um aliado importante para apoiar a Scania no cumprimento da meta de reduzir em 20% as emissões de CO2 de seus veículos em circulação até 2025, de acordo com o compromisso firmado com o Science Based Target, um comitê global que estipula indicadores de redução de emissão de gases do efeito estufa conforme a atividade da empresa.

A economia de diesel é essencial para a saúde financeira das empresas de transporte, além de contribuir significativamente com o planeta e a sociedade ao reduzir as emissões de gases poluentes”, explica Munhoz.

O funcionamento do acelerador inteligente está ligado a uma análise do peso do veículo, da posição do pedal de aceleração e deslocamento do modelo, para evitar  acelerações bruscas e desperdício desnecessário de combustível.

Dessa forma, o veículo é conduzido de forma mais confortável e econômica preservando outros componentes do trem de força e os freios. O sistema trabalha de forma automática e desativa quando o motorista pressiona o acelerador até o fundo (posição do Kickdown), entendendo que o condutor precisa de toda a capacidade de aceleração naquele momento. Ao soltar o pedal, o sistema volta a controlar a aceleração do veículo”, explica Paulo Genezini, gerente de Pré-Vendas da Scania no Brasil.

Isso significa que numa situação de viagem com alta frequência de alternâncias de velocidade, tráfego intenso e em veículos não totalmente carregados ou vazios, o acelerador inteligente vai contribuir para uma maior economia de combustível. “O efeito será um pouco reduzido em rotas onde existam velocidades constantes (de cruzeiro). Ou seja, quanto mais variações na rota maior será sua atuação automática. O motorista vai sentir rapidamente a diferença desse grande benefício”, conclui Genezini.

Outro segmento que a Scania está acompanhando de perto é o fora de estrada. Segundo Munhoz, é esperado mais um ano forte da mineração, a continuidade das obras de infraestrutura do Governo Federal, do reaquecimento da construção civil e do setor sucroalcooleiro – pouco impactado pela crise e com forte demanda para soluções de biometano –, além da renovação das frotas do segmento florestal.

A Scania vem provocando transformações profundas no mercado desde que anunciou a chegada da linha movida a gás natural e/ou biometano. Começamos a vender em 2019, na Fenatran, iniciamos as entregas em abril de 2020 e chegamos a 70 unidades vendidas totais. Para 2021, queremos chegar a 200 caminhões a gás vendidos. Cada dia mais e mais embarcadores incentivam seus transportadores para colocarem em suas frotas alternativas ao diesel. É uma resposta importante que estamos dando para a sociedade que pede por opções para um planeta menos poluído. É o caminho viável ‘Aqui e Agora’ para o Brasil até a eletrificação”, destaca.

Grupo Charrua: frota totalmente sustentável

Uma das encomendas mais recentes da empresa de veículos a gás veio do Grupo Charrua Gás, que solicitou mais seis caminhões R 410 6×2 para tornar sua frota 100% movida a GNV. Segundo a Scania também está nos planos da Charrua comprar mais unidades alternativas ao diesel para a Transportadora Arco, também integrante do grupo.

A companhia é a primeira companhia do Sul a adquirir os veículos. A entrega está prevista para este primeiro trimestre para atender às demandas dos clientes no Rio Grande do Sul, como indústrias e postos de combustível.

Essa solução da Scania é muito rentável e a melhor que temos disponível para a sustentabilidade do transporte. Fizemos testes com o primeiro veículo a gás em Esteio (RS) e durante a inspeção verificamos a saída da descarga do caminhão com um filtro de papel. O modelo a gás simplesmente não sujou o filtro. É muito gratificante para nós, como clientes, ter um caminhão que funciona exatamente como a Scania fala. Isso mostra na prática o que a marca vem prometendo”, destaca Flavio Aluísio Rudiger, Diretor de Logística e Transportes do Grupo Charrua.

Atualmente, sete empresas compõem o conglomerado (que complementam os negócios do mesmo segmento): Transportadora Arco, TRR Arco Diesel, Loja Arco e Arco Gás, em Lajeado (RS); e TRR Charrua Diesel, Distribuidora de Petróleo Charrua e Charrua Gás, na cidade de Esteio (RS).

Jornada transformadora

Para 2021, a Scania acredita que na evolução dessa jornada voltada à transformação do transporte rodoviário no Brasil. Segundo Barral, o ano ainda desponta com algumas incertezas, mas ele mantém a visão de crescimento consistente. Por outro lado, defende a necessidade urgente das reformas tributária e administrativas, tão necessárias para que o País avance e se torne mais competitivo.

Em 2021, ainda temos incertezas que não deixam algumas projeções avançarem, mas estamos otimistas. Nos caminhões, a Nova Geração é um sucesso. E nossa jornada liderando a transição para um sistema de transporte mais sustentável seguirá cada vez mais transformadora”, conclui.

Por Redação Na Boléia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *