Na Boléia

Apaixonados por Caminhões

Pesquisa aponta redes com melhor tempo de descarregamento

Em sua 18º edição, a pesquisa que avalia o resultado do Índice de Eficiência no Recebimento (IER) teve seus resultados divulgados em live. O objetivo é mapear como está o recebimento de cargas em São Paulo e região, além de avaliar se as condições estão de acordo com as necessidades do transportador e como é possível melhorar o recebimento de carga nos principais polos como supermercados, centros de distribuição, atacadistas e home centers. O levantamento é conduzido pelo Instituto Paulista do Transporte de Cargas (IPTC), órgão vinculado ao Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região (SETCESP),

As duas categorias do ranking, Rede com Melhor IER e Melhor Evolução no Ranking, tiveram como vencedor a rede Tok & Stok. Esta obteve IER de 62,4% com tempo médio de descarga de duas horas e cinco minutos, além de ter subido 16 posições no ranking, passando do 17º lugar em 2019 para o 1º neste ano. 

A pesquisa também elucida algumas cobranças que devem ser feitas em caso de demora excessiva na entrega, como a Taxa de Dificuldade de Entrega (TDE). Como consta na Planilha Referencial de Custos da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logísitca), a TDE, incide 20% sobre o valor do frete original e, com o IER, é possível obter um parâmetro na negociação e definição do frete, pois o transportador pode utilizar os resultados do ranking para comprovar a necessidade de cobrança da taxa. 

De acordo com o diretor executivo do IPTC, Fernando Zingler, a importância do índice vai além do transporte de cargas. “É uma pesquisa bem diferenciada, não existe um trabalho como este no mercado, e auxilia tanto o transportador a conhecer mais sobre a realidade das entregas e melhorar seu planejamento, como também o poder público para direcionar ações que possam apoiar o transporte de cargas nos municípios. Hoje, o IER nos dá o tempo médio de descarga na região, que é um indicador muito valioso e que se relaciona com a qualidade da entrega, o volume transportado, a expectativa econômica, os investimentos do país e principalmente com as empresas recebedoras, que são quem geralmente tem o poder de decisão nessa esfera”.

O presidente do conselho superior e de administração, Tayguara Helou, ressaltou também a finalidade do índice para as empresas do segmento. “Esta é uma ferramenta muito usada por transportadores, principalmente, para conhecer os seus custos. Quando se tem variáveis e dificuldades de entrega ou melhorias e facilidades, consegue-se calcular melhor seus custos por meio deste índice que nos dá um resultado mais preciso para compor nossa base tarifária, e assim cobrar de forma mais justa de nossos clientes”. 

Por Redação Na Boléia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *