Na Boléia

Apaixonados por Caminhões

Gerdau inicia demonstração com primeiro caminhão a gás da mineração

A Gerdau começa a utilizar o primeiro caminhão movido a gás da mineração na história do Brasil, da marca Scania. O modelo vai trabalhar nas operações da produtora de aço na mina Várzea do Lopes, localizada em Itabirito (MG). Quem vai operar o caminhão será a Fagundes Construção e Mineração S.A, com todo o suporte da Casa Scania WLM Itaipu.

O primeiro caminhão movido a gás da história da mineração no Brasil, um modelo G 410 6×4, foi entregue pela concessionária WLM Itaipu. O início da demonstração vai começar nesta sexta-feira (18/12). Para isso, todos os motoristas da Fagundes passarão por uma capacitação específica para operação do equipamento, que vai transportar minério de ferro e estéril.

A Gerdau tem trabalhado, em parceria com sua cadeia de fornecimento, na construção de um futuro mais sustentável, a partir do desenvolvimento de produtos e soluções inovadoras.

Há cerca de 120 anos, trabalhamos para conectar pessoas que constroem um futuro mais colaborativo e sustentável. A parceria com a Scania, com a solução do caminhão a gás natural, é um exemplo de uma ação virtuosa. Além das questões econômicas e ambientais, prezamos pela estruturação de uma cadeia local de produção e abastecimento, que resulte em desenvolvimento social e econômico sustentável“, explica Vinicius Fernandes de Moura, gerente-geral de Suprimentos da Gerdau.

A dependência 100% ao diesel é impossível para melhorar o planeta. Para a Scania, no Brasil o caminho viável, o ‘Aqui e Agora’, devido ao potencial de redução de consumo e de emissão de CO2 em comparação ao diesel, é a linha a gás natural veicular (GNV), gás natural liquefeito (GNL) e/ou biometano.

A Scania vem liderando a transição para um sistema de transporte mais sustentável. O caminhão a gás vem sendo um sucesso no modal rodoviário. Agora, vamos inovar outra vez o mercado fora de estrada. Uma ação que também é inédita globalmente para a marca. Portanto, é da Gerdau o primeiro caminhão movido a gás da história da mineração no Brasil, e do mundo para a Scania. Temos certeza que os resultados vão surpreender e criar tendência“, diz Silvio Munhoz, diretor de Vendas de Soluções da Scania no Brasil. “Na área da sustentabilidade é importante dar o primeiro passo e assumir compromissos de redução das emissões. Parabéns à Gerdau por acreditar que é possível tornar mais sustentável a operação logística na mineração“, completa.

O caminhão a gás iniciou suas vendas em outubro de 2019. A partir de maio de 2020 começaram as entregas. Desde então, a Scania já vendeu mais de 60 unidades para diferentes indústrias, desde cosméticos a alimentos.

Operação mais sustentável

O G 410 6×4 utiliza uma caçamba de 16 metros cúbicos para transferir o minério de ferro e estéril franco para a Gerdau na Mina Várzea do Lopes.

O abastecimento do gás natural veicular (GNV), de responsabilidade da Logás, será dentro da própria operação numa estação compacta que está sendo construída pela produtora de aço de acordo com as normas legais e de segurança para o armazenamento, consumo e utilização do gás.

O tempo de duração do abastecimento é curto, cerca de 15 minutos, o que não compromete a disponibilidade do caminhão no trabalho diário que é intenso, já que ele vai rodar 24 horas por dia, sete dias por semana. A expectativa é que haja uma autonomia de 10 metros cúbicos/hora, que nessa operação significa entre 250 e 300 km.

Seguros e viáveis

Os inéditos caminhões pesados Scania movidos a GNV, GNL e/ou biometano têm motores Ciclo Otto (o mesmo conceito dos automóveis) e são movidos 100% a qualquer mistura dos combustíveis. Eles não são convertidos do diesel para o gás, têm garantia de fábrica, tecnologia confiável e segura, são mais silenciosos e com desempenho consistente e força semelhante ao caminhão a diesel. Os cilindros robustos (o material é de ogivas de mísseis) e válvulas são certificados pelo Inmetro (em conformidade com a lei). São três válvulas (vazão, pressão e temperatura) que liberam o gás em caso de anomalia em um destes três quesitos.

Por Redação Na Boléia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *