Scania busca reduzir pela metade as emissões de CO² até 2025

Data: 28 de março de 2018

ScaniaA Scania pretende reduzir, até 2025, pela metade as emissões de CO² em suas operações globais e em seus fluxos de logística de transporte terrestre na Europa e na América Latina.
Para isso, a montadora busca otimizar processos de produção, melhorando a eficiência energética e convertendo sua geração atual para fontes renováveis. Esse comromisso em manter operações mais sustentáveis foi reforçado em 2017, quando a Scania anunciou a mudança de seus processos para eletricidade e meios livres de combustíveis fósseis até 2020.

“Temos uma visão de longo prazo para implantar operações de carbono zero. Para alcançar nosso objetivo, estamos nos desafiando a reduzir as emissões de CO² em 50% em todas as nossas operações globais até 2025”, diz Ruthger de Vries, vice-presidente executivo de produção e logística.

Para cumprir as metas do Acordo Climático de Paris e seu compromisso com um sistema de transporte sustentável, a Scania vem trabalhando na redução das emissões de gases de efeito estufa de seus produtos. Essa preocupação também contempla a diminuição dos níveis de emissão, gerados a partir de suas próprias operações e da pegada de transporte.

“Conversamos diariamente com nossos clientes sobre as alternativas mais sustentáveis para suas atribuições no transporte. Nossas próprias operações logísticas são, em muitos aspectos, um laboratório onde testamos novas ideias e desenvolvemos nossas capacidades. Como um grande comprador de transportes, temos que nos esforçar para ser uma referência, para isso nos comprometermos a reduzir significativamente nossa pegada de emissões”, diz de Vries.

Novos recordes

No ano passado, a Scania alcançou novos recordes, apostando em soluções de transporte sustentáveis. Os resultados desses esforços foram divulgados no Relatório Anual de Sustentabilidade da marca, apresentado na última quinta-feira (22/3), na Suécia.

A empresa já possui em seu portfólio veículos movidos a combustíveis alternativos, disponibilizando motores compatíveis com GNV, Etanol e Biometano, capazes de reduzir em até 90% as emissões de CO² no transporte.

Segundo o presidente e CEO da Scania, Henrik Henriksson: “O mundo está cada vez mais próximo deste ponto inevitável no tempo, quando as soluções de transporte sustentável se tornam a única opção viável e surge um ‘novo normal’. Na Scania continuamos intensificando nossos esforços na liderança para um sistema de transportes sustentável”, diz.

Por: Redação Na Boléia

Data: 28 de março de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.