Rede inteligente de mapeamento logístico é lançada no Brasil

Data: 03 de abril de 2018

ANTT Cana VerdeComo parte da política voltada à desburocratização e redução do custo logístico, cujo objetivo principal é aumentar a competitividade dos produtos brasileiros no mercado internacional, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) lançou o programa Canal Verde Brasil, que se trata de rede inteligente de acompanhamento e mapeamento dos fluxos logísticos nos corredores e de integração de base dados interagências.

A plataforma ganhou um hotsite que pode ser acessado no link http://www.antt.gov.br/canal_verde/

A operação do Canal Verde Brasil é o mapeamento eletrônico e permanente de fluxos de transporte nos principais corredores logísticos do Brasil e a integração entre bancos de dados da ANTT e de parceiros estratégicos, como a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a Superintendência de Seguros Privados (Susep), a Receita Federal do Brasil (RFB), o Ministério do Trabalho (MT), secretarias estaduais de fazenda, entre outros. Dessa forma, é possível agregar valor ao dado captado e utilizá-lo para fins regulatórios, tributários, de segurança, e, sobretudo, de produção de dados, informações e conhecimento acerca dos fluxos logísticos.

O principal diferencial do Canal Verde Brasil é o controle eletrônico e unificado do poder público sobre a circulação de mercadorias e de viagens de passageiros no Brasil. Esse controle reduz o custo decorrente da parada do transporte para a fiscalização e amplia a frequência de viagens, aumentando a rentabilidade dos investidores. Em longo prazo, o Canal Verde Brasil será fundamental para consolidar no país o Operador Econômico Autorizado (OEA), que visa controlar os fluxos de exportação e importação por meio da vantagem de tornar mais célere as operações dos atores que adotam política de compliance, ou seja, que atuam de acordo com a lei e têm vantagem competitiva com essa postura. O Canal Verde Brasil vai tornar o país mais competitivo.
Mas os benefícios do programa vão além da redução de custos logísticos e de fiscalização: o compartilhamento de dados, informações e conhecimentos reduz o custeio e o investimento do poder público em atividades redundantes de fiscalização.

Como funciona?

O Canal é baseado em sistema de reconhecimento ótico de caracteres da placa de veículo, conhecido pela sigla inglesa OCR (Optical Character Recognition), combinado com formas de identificação redundantes, em especial de identificação do veículo por meio de rádio frequência. Daí a necessidade de instalação do chip nos veículos, o qual devido a interoperabilidade são versáteis e permitem por exemplo sua utilização para a cobrança automática de pedágio em rodovias concedidas.

Essas tecnologias estão presentes nos pontos de leitura do Canal Verde Brasil, que são os responsáveis por captar e distribuir os dados. Atualmente, estão implantados 41 pontos, que correspondem a quase 75% do total. Até julho deste ano, serão implantados mais 14 pontos de leitura, totalizando 55 espalhados por todo o território nacional.

Por: Redação Na Boléia

Data: 03 de abril de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.