Mitos sobre consumo de combustível e formas de avaliar a performance do carro

Data: 02 de fevereiro de 2018

2-oficina-g1-combustivelOs constantes aumentos dos preços dos combustíveis e do trânsito nas maiores cidades do País trazem à tona uma típica preocupação do brasileiro: Como economizar com álcool ou gasolina? Os motoristas estão em uma constante busca por alternativas para aprimorar sua durabilidade e eficiência, mas será que existe mesmo um jeito de “driblar” o aumento do consumo?

Com o objetivo de formar condutores mais informados e conscientes do que ocorre em seus automóveis, o aplicativo Engie, solução que ajuda motoristas a ter controle total sobre seus veículos, compilou uma série de mitos e verdades sobre as práticas mais comuns para economia de combustível.

1. Encher muito os pneus permite que o carro percorra maiores distâncias com menos combustível: FALSO.

É possível elevar a eficiência do combustível entre 0.6% e 3% quando há a quantidade perfeita de ar nos pneus, normalmente a recomendada pelos fabricantes. Quando os mesmos possuem menos ar que o recomendado, suas capacidades podem ser reduzidas em até 0.2% de força-peso por polegada quadrada (psi). O excesso de pressão também pode originar o mesmo problema, além de desgastar irregular e prematuramente, portanto o melhor jeito de ter um carro eficiente é seguir a orientação quanto a calibragem dos seus pneus.

2. Utilizar gasolinas premium de alta octanagem faz o carro consumir menos:

FALSO.
Cada motor é projetado para consumir um tipo específico de combustível, com um número determinado de octanos, que mede a resistência de um combustível a se auto-inflamar. Isso significa que o tipo de combustível a ser utilizado por um veículo, desde o normal ao premium, depende do motor.
Nesse sentido, se o condutor tem um sedan tradicional, mesmo utilizando um combustível premium, não será perceptível nenhuma diferença de potência ou consumo.

3. Ao optar pelo álcool ao invés da gasolina, gasta-se menos:

DEPENDE.
O brasileiro tem o hábito de optar pelo uso do álcool ao invés da gasolina, a fim de economizar na hora de ir ao posto. No entanto, essa economia só se torna real se o preço do álcool corresponder a até 70% do valor da gasolina, já que o motor precisa de mais álcool para realizar sua combustão interna.
Um bom jeito de averiguar a verdadeira eficiência de cada combustível em um carro é encher o tanque com um dos dois e verificar a quantidade de quilômetros rodados com aquele tanque.

4. Ar condicionado consome combustível:

VERDADEIRO.
O sistema de ventilação de ar condicionado é abastecido pelo motor, ou seja, ele tem um impacto no consumo de combustível. Seu uso contínuo pode levar a um aumento de 10% no consumo de combustível. A partir disso, algumas fábricas de carros passaram a incluir sistemas elétricos de ar condicionado em suas unidades, como é o caso do Prius, da Toyota, e do Lexus CT 200H.

5. Dirigir rápido e aceleração constante afetam a performance do carro:

VERDADEIRO.
Um automóvel que é conduzido a 110 km/h consome em torno de 20% a mais de combustível que um veículo andando a 90 km/h, e a aceleração brusca leva ao uso de 50% mais combustível quando comparada à de um automóvel com aceleração gradual.

Por: Redação Na Boléia

Data: 02 de fevereiro de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.