Mercedes-Benz anuncia alta nas exportações para África e Oriente Médio

Data: 28 de agosto de 2018
Postado em: Montadoras
Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas, Marketing e Peças & Serviços Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil

Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas, Marketing e Peças & Serviços Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil

A Mercedes-Benz do Brasil anunciou os resultados de sua investida nos mercados da África e Oriente Médio, que vêm recebendo veículos produzidos na fábrica de São Bernardo do Campo/SP. O fato é que, com o objetivo de expandir suas operações, a companhia tem buscado oportunidades de negócios em países onde ainda não atuava.

O resultado dessa estratégia tem sido bem positivo: somente no ano passado, a Mercedes-Benz do Brasil exportou aproximadamente 260 caminhões Atego e Accelo para países da África e do Oriente Médio. Para 2018, a expectativa é embarcar mais 350 unidades, o que significa um crescimento de cerca de 40% nas exportações destes caminhões para aquela região.

Conforme Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas, Marketing e Peças & Serviços Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil, as exportações totais de caminhões da montadora tiveram um aumento superior a 120% nos últimos quatro anos, saltando de mais de 3.600 unidades em 2014 para cerca de 8.000 unidades em 2017.

Já no acumulado de janeiro a julho deste ano, a empresa exportou mais de 4.600 caminhões. Com esse crescimento, a representação das exportações na produção de caminhões da empresa saltou de 10% em 2014 para 40% hoje.

Segundo executivo, a decisão da companhia de ingressar no Oriente Médio e África foi motivada, principalmente, pela similaridade com o mercado brasileiro. Lá os caminhões Atego e Accelo rodam nas cidades e estradas, enfrentando condições adversas, como vias não pavimentadas, desertos, temperaturas elevadas e topografia irregular.

1-5-28082018-minVeículos customizados

Apesar da similaridade com o mercado brasileiro, os caminhões exportados para a África e Oriente Médio passam por customizações, visando atender às necessidades da região e às legislações de cada país. Esse trabalho fica a cargo do Centro de Customização para Clientes (Custom Tailored Trucks – CTT) da unidade brasileira, que foi responsável por soluções exclusivas, como a aplicação de pneus largos super single 365/85 no Atego 1725 4×4, a fim de aumentar a eficiência nas operações fora de estrada no deserto, além de caminhões com escape vertical, iluminação externa de emergência no teto da cabina (giroflex), entre-eixos mais curtos, dispositivo de proteção frontal e painel de instrumentos com idioma árabe, entre outras customizações.

Atuando em mais de 50 países daquela região, os caminhões Mercedes-Benz, segundo Leoncini, vem obtendo grande aceitação. Apesar da forte concorrência asiática, os veículos da marca têm agradado, principalmente, por apresentarem atributos como força, robustez e resistência.

1-4-28082018-min“O crescimento das vendas do Atego e Accelo para países da África e do Oriente Médio tem contribuído para o avanço da Mercedes-Benz do Brasil no mercado externo, permitindo que caminhões brasileiros complementem o portfólio da Daimler Trucks. Antigamente, a fábrica brasileira era reconhecida por produzir veículos de qualidade, mas que atendiam somente às necessidades do mercado latino-americano. Com essa imersão no Oriente Médio e África, conseguimos atingir um outro patamar e reforçar nossa capacidade de atuar globalmente, fornecendo soluções de alto nível para atender às necessidades de clientes de outros continentes”, ressalta Leoncini.

Investimentos em logística

Com o objetivo de se manter ainda mais competitiva nas exportações de caminhões, a Mercedes-Benz do Brasil também investiu em tecnologia para aprimorar na logística de envio dos veículos aos clientes da região do Oriente Médio e da África. Dessa forma, os caminhões semipesados Atego são embarcados no sistema de Flat Rack Containers, uma solução que gera uma economia de 16% a 20% no frete em relação à alternativa de Navio Ro-Ro (Roll-on e Roll-off), em que os veículos entram e saem do navio rodando por 1-2-28082018-minseus próprios meios.

O Accelo, por sua vez, que apresenta dimensões compactas, é transportado em containers convencionais, gerando economia de 50% sobre o Navio Ro-Ro.

De acordo com Leoncini, além da diminuição no custo do frete, a opção pelos containers também assegura redução de cerca de 25% no tempo de trânsito em relação ao navio tipo Ro-Ro. A montadora é a primeira fabricante do País a utilizar containers para embarque de caminhões.

A fim de estreitar cada vez ao relacionamento com clientes do mercado externo e mostrar a capacidade da empresa de integrar suas soluções à plataforma global de produção de caminhões da Daimler Trucks, a Mercedes-Benz do Brasil estará presente no Salão Internacional de Veículos Comerciais IAA 2018, que acontece em setembro próximo, em Hanover, na Alemanha, expondo o Accelo e o Atego 1725 4×4 customizado para o transporte fora de estrada.

Veja o vídeo com Roberto Leoncini.



 

1-1-28082018-min
1-3-028082018
Por: Redação Na Boléia

Data: 28 de agosto de 2018
Postado em: Montadoras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.