Logística: foco no cliente, sustentabilidade, tecnologia e pessoas

Data: 22 de agosto de 2018

2-23082018-minUm estudo desenvolvido pela DHL revela 28 tendências principais que podem impactar o setor de logística nos próximos cinco a dez anos. Os dados compõem a quarta edição do Logistics Trend Radar, uma série pioneira que começou em 2013.

A pesquisa é desenvolvida por meio da análise de megatendências e microtendências, bem como da contribuição direta de um grande ecossistema de parceiros, incluindo institutos de pesquisa, empresas de tecnologia, startups e clientes. A maioria das ideias é coletada diretamente de mais de 10.000 profissionais de logística e especialistas em tecnologia, que visitam anualmente os Centros de Inovação da DHL. As descobertas são agregadas e refletidas no estudo Logistic s Trend Radar, que atua como uma ferramenta de previsão dinâmica e estratégica, que acompanha a evolução das tendências identificadas em edições anteriores e encontra novas tendências promissoras a cada atualização.

Esta edição apontou que a inovação será mais importante do que nunca, uma vez que a digitalização está levando à maior transformação já vista na indústria nos próximos anos. “Nosso estudo Logistics Trend Radar serve como um roadmap para a inovação, ajudando a estruturar e catalisar pesquisas e projetos da indústria junto com nossos clientes e parceiros. Nesta edição, nos concentramos fortemente na revolução digital que está ocorrendo no setor e seu impacto em quatro elementos-chave que definem o futuro da logística: foco no cliente, sustentabilidade, tecnologia e pessoas”, disse Matthias Heutger, Vice-Presidente sênior da Área Global de Inovação e Desenvolvimento Comercial na DHL.

O foco no cliente será crucial para atender às demandas dos clientes por uma experiência logística mais rápida e conveniente. Uma quantidade cada vez maior de bens que podem ser comprados on-line – especialmente no mercado B2B, está impulsionando a necessidade de soluções de logística Omnichannel B2B. A demanda dos clientes também está impulsionando o crescimento das remessas de bens sensíveis ao tempo e à temperatura, direto ao consumidor. Essa Fresh Chain exigirá inovações em embalagem, armazenamento e entrega de mercadorias, como alimentos e produtos farmacêuticos. Uma área fundamental para a inovação na comunicação entre provedores de telecomunicações e clientes será a integração de serviços de logística em ambientes domésticos inteligentes, que incluem a tão discutida tendência da “Vida Conectada”.

A sustentabilidade se tornará obrigatória para operar-se no setor de logística à medida que governos, cidades e fornecedores de soluções fazem acordos amplos para reduzir as emissões de CO2 e resíduos. A Logística de Energia Verde – o uso de energia elétrica nas frotas e instalações – oferece um enorme potencial para a logística se tornar mais sustentável. A Conteinerização Inteligente no transporte também será importante no desenvolvimento de formatos sustentáveis para entregas em cidades com tráfego congestionado.

A tecnologia se tornará difundida em logística conforme a proporção custo-desempenho se inclina para as principais tendências, como a Internet das Coisas e Inteligência Artificial nos próximos anos. Uma tendência que pode acelerar isso é a disseminação de redes sem fio de última geração que podem aumentar significativamente a economia e o valor derivado da conectividade na cadeia de suprimentos. Outra tendência destacada nesta edição é o blockchain, que tem tido muita expectativa e promessas para a tecnologia, mas conseguir a aceitação total da indústria pode revelar-se um obstáculo significativo para sua adoção.

Pessoas: peças-chave

As pessoas continuarão a ser o elemento principal na logística, mesmo que as tendências de robótica e automação, bem como automação de software redefinam a estrutura da força de trabalho na logística no futuro. Tarefas altamente repetitivas e de intensidade física serão auxiliadas pela tecnologia, permitindo que as pessoas realizem tarefas mais significativas que exijam gerenciamento, análise e inovação. Serão necessários conceitos de trabalho digital para atrair e manter talentos da geração millennial na área da logística, bem como para dar suporte à força de trabalho já existente na área de logística.

“Por mais que tenhamos como objetivo prever com extrema precisão, sabemos por experiência que o impacto de algumas tendências não se concretizará. A inovação não segue um caminho linear – o sucesso de algumas tendências dependerá da cultura e das capacidades, tanto em tecnologias inovadoras, quanto em perspicácia nos negócios. É por isso que precisamos nos envolver ativamente e diretamente para impulsionar o desenvolvimento dessas tendências,” disse Markus Kückelhaus, Vice-Presidente de Pesquisa de Inovação e Tendências, na Área de Inovação e Soluções para o Cliente DHL.

Os projetos transformadores de inovação da DHL também estão destacados no relatório, como por exemplo, o desenvolvimento de bicicletas elétricas para carga da DHL usadas para a logística urbana, testes de fechaduras inteligentes que permitem a entrega em domicílio e o uso de inteligência artificial para prever o comércio global. Após esta edição, a DHL iniciará experiências em novas tendências para explorar suas implicações em mais detalhes.

Por: Redação Na Boléia

Data: 22 de agosto de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.