Indústria automobilística confirma retomada, segundo Anfavea

Data: 10 de janeiro de 2019

1-10012019-minO balanço da indústria automobilística brasileira de 2018 confirmou a retomada do setor, que teve início em 2017. Os dados são da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, que contempla volumes de vendas, produção e exportação de veículos e máquinas agrícolas e rodoviárias.

Segundo a entidade, o licenciamento de autoveículos em 2018 registrou 2,56 milhões de unidades, aumento de 14,6% frente às 2,24 milhões de unidades vendidas em 2017. Na análise mensal, foram negociadas em dezembro 234,5 mil unidades, o que representa crescimento de 1,6% sobre as 230,9 mil unidades de novembro, ou de 10,3% na comparação com as 212,6 mil de dezembro de 2017.

“O mercado interno teve forte reação, o que mostra que parte da demanda reprimida foi bem atendida. O crescimento das vendas de caminhões e máquinas agrícolas indica a recuperação da economia brasileira. O único indicador negativo foi o volume de exportações, por conta da forte retração do mercado argentino, nosso principal parceiro comercial. O balanço da produção também foi positivo, mesmo com a redução nas exportações”, afirmou Antonio Megale, presidente da Anfavea.

A produção em 2018 foi de 2,89 milhões de unidades – superior em 6,7% às 2,69 milhões de unidades do ano anterior. No último mês do ano, as 177,7 mil unidades fabricadas indicam baixa de 27,4% contra as 244,8 mil de novembro e de 16,8% quando analisado com as 213,7 mil do mesmo mês de 2017.

Nas exportações o cenário foi de baixa: 629,2 mil unidades foram negociadas com outros países no ano passado, o que significa queda de 17,9% sobre as 766 mil unidades de 2017, ano em que a indústria registrou números recordes no comércio exterior. Em dezembro, 31,7 mil veículos atravessaram as fronteiras, baixa de 7,9% em relação a novembro com 34,4 mil unidades e 48,1% menor frente as 61,1 mil de dezembro de 2017.

Para 2019, a entidade estima aumento de 11,4% no licenciamento de autoveículos este ano: a expectativa é de comercializar 2,86 milhões de unidades. No caso das exportações a projeção é de estabilidade com 590 mil unidades negociadas com outros países. A produção deve chegar em 3,14 milhões de unidades, o que significa um aumento de 9%.

“Para 2019, nossa expectativa é de mais um ano de crescimento, exceto nas exportações. A conjuntura macroeconômica indica fatos positivos, como aumento do PIB, inflação diminuindo e queda do dólar. A oferta de crédito em 2018 foi a maior desde 2011. Na soma de todos esses fatores ao otimismo com as reformas econômicas propostas pelo novo governo, acreditamos em uma reação sequencial, que passa pela retomada da confiança tanto do consumidor quanto do investidor”, apontou Antonio Megale.

Caminhões

As vendas de caminhões em 2018 registraram 76 mil unidades, expansão de 46,3% diante das 52 mil unidades do ano anterior. Na análise mês a mês, as 7,6 mil unidades comercializadas em dezembro ficaram 0,6% abaixo das 7,7 mil de novembro e 25,7% superiores às 6,1 mil unidades de dezembro de 2017.

A produção encerrou o ano com alta de 27,1%: foram 105,5 mil unidades em 2018 e 83 mil em 2017. No último mês do ano passado saíram das linhas de montagem 7,3 mil unidades, número 26,5% menor na comparação com as 10 mil de novembro, e 0,8% inferior em relação às 7,4 mil de igual período de 2017.

As exportações no ano passado chegaram a 24,6 mil unidades, recuo de 12,7% frente as 28,2 mil unidades de 2017. Em dezembro, mil unidades foram exportadas, o que representa diminuição de 24,2% ante as 1,4 mil de novembro e decréscimo de 50,9 % contra as 2,1 mil de dezembro de 2017.

Por: Redação Na Boléia

Data: 10 de janeiro de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.