Diesel S-10 – Ar mais limpo e veículos mais eficientes

Data: 18 de fevereiro de 2014
Postado em: Sustentabilidade

 

A introdução do diesel S-10 é um avanço na busca pela eficiência energética no Brasil. Além dos benefícios para o meio ambiente, o novo combustível também traz vantagens para o motorista, melhorando o desempenho do veículo

Desde 1º de janeiro, os postos de abastecimento, em todo território brasileiro, passaram a comercializar o diesel S-10, um combustível menos poluente, que  presenta dez partículas de enxofre por milhão, reduzindo a emissão de NOx (dióxido de azoto ou dióxido de nitrogênio), SOx (dióxido de enxofre) e outros materiais particulados quando da sua queima.

A medida foi anunciada pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) em dezembro do ano passado e afeta os caminhões, ônibus e alguns veículos que também utilizam o combustível. A justificativa da ANP para introdução do novo produto é a contribuição ao meio ambiente. O diesel S-10 é um combustível de última geração, já largamente consumido na Europa. Segundo estimativas de especialistas, quando usado em veículos novos, há uma redução de 10% a 15% na emissão de material particulado. A introdução do S-10 pelo Governo vai ao encontro da implementação da fase P7 do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve), estabelecido pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), que visa reduzir

as emissões veiculares. Conforme a resolução da ANP, o diesel S-50 e o diesel S-1800 deixaram de ser comercializados no mercado brasileiro no início deste ano. Entretanto, distribuidores e revendedores varejistas terão prazo de 60 e 90 dias, respectivamente, para escoar seus estoques de diesel S-1800, que foram adquiridos até 31 de dezembro de 2013. Na verdade, a introdução do diesel com menor teor de enxofre no mercado brasileiro está sendo feita pela ANP gradualmente.

Em 2006, o S-500 passou a ser comercializado em 237 municípios. Em 2009, houve a migração do óleo diesel S-1800 para o S-500 e a entrada do diesel de baixo teor de enxofre (o diesel S-50).

Benefícios para o meio ambiente 

Com um processo de refino diferente, o diesel S-10 traz benefícios ao meio ambiente. O novo combustível tem maior teor de cetano, que melhora a qualidade de ignição, especialmente no que diz respeito à partida a frio e ao desempenho do veículo. Para se ter ideia, enquanto o diesel S-500/1800 tem cetano de 42, o diesel S-50 apresenta 46 e o S-10 tem cetano de 48.

O novo diesel traz também benefícios relacionados à proteção do motor, pelo fato de ser mais solvente que o diesel comum (S-500/1800). Na prática, isso significa que possui mais hidrogênio, ou seja, é mais capaz de limpar uma superfície que o óleo diesel tradicional.

Diferenças na cor

Muitos motoristas têm dúvidas em como identificar a qualidade do novo combustível. Nesse aspecto, é importante esclarecer que a cor do S-10 é a mesma do S-50, ou seja, incolor a levemente amarelado.

Já o S-500 é vermelho e o S-1800 amarelo escuro a laranja com traços de marrom. Mas para saber se é S-10 ou S-50 é preciso verificar a indicação da bomba.

Conforme da resolução ANP, todos os revendedores varejistas que comercializam óleo diesel devem afixar em cada bomba abastecedora de diesel um adesivo plástico colorido, com um alerta aos proprietários de veículos novos em relação à fase P7 do Proconve.

Precauções

Para abastecer, os motoristas devem ter algumas precauções. No caso de veículos novos que já começaram a utilizar o novo combustível é importante parar em postos com filtros adequados, que filtrem o diesel no ato do abastecimento. Além disso, o motorista deve também manter o tanque cheio quando for ficar estacionado por períodos maiores e não deixar o veículo parado com combustível no tanque por mais de 15 dias.

Já para os veículos que vinham sendo abastecidos com diesel S-500/S-1800, o motorista deve fazer obrigatoriamente uma lavagem do tanque, trocar os filtros e proceder a limpeza do sistema de combustível. Caso contrário, por ser mais solvente, o diesel S-10 poderá dissolver as sujidades presentes no tanque, que serão transportadas para o sistema de combustível, entupindo assim filtros, mangueiras e bicos.

Quem pode usar

Todos os veículos, antigos ou novos, a diesel podem rodar com o S-10. Entretanto, aqueles com o novo motor Euro 5 (Proconve 7) deverão abastecer somente com S-10. Na verdade, os ganhos de eficiência e os benefícios ambientais somente são obtidos quando o S-10 é utilizado nos motores novos.

Caso o motorista abasteça um caminhão novo com o diesel tradicional, poderá ter problemas com o veículo. Além de aumento de emissões, o erro causará entupimento do catalisador e do filtro, carbonização do motor, formação de depósito, aumento de consumo, redução da vida útil do veículo, entre outros transtornos.

O que é o Arla-32?

Os novos caminhões, além de serem abastecidos com o S-10, terão também de utilizar o Arla-32 – Agente redutor líquido de óxidos de nitrogênio (NOx) automotivo que atua nos catalisadores dos veículos. Ele é exigido nos veículos que utilizam o Sistema de Redução Catalítica Seletiva (SCR, na sigla em inglês), basicamente caminhões e ônibus.

Se esses veículos não usarem o Arla-32, haverá elevação nas emissões de NOx, e o sistema de monitoramento do motor irá reduzir gradualmente a sua potência.

O Arla-32 não deve ser misturado ao diesel. Precisa ser colocado em tanque próprio, separado ao do diesel. Ou seja, todos os veículos deverão ter um tanque para o Arla. O produto também faz parte das determinações do Proconve 7.

Opniões dos usuários

Para os postos varejistas, o S-10 pode gerar novas oportunidades de negócios. “Mudanças sempre causam incertezas, mas o processo de adaptação tem sido tranquilo, pois, desde o ano passado, já estávamos recebendo o novo combustível”, revela Otávio Souza, revendedor na capital paulista.

Segundo ele, uma preocupação é em relação ao manuseio. Para isso, ele vem treinando constantemente seus funcionários.

“O maior cuidado é quando o produto chega ao posto, pois o colaborador precisa estar atento para descarregar o combustível no tanque correto. Além disso, o frentista também precisa se lembrar sempre de perguntar ao caminhoneiro qual o combustível desejado, já que os veículos novos só podem ser abastecidos com o S-10”, explica Souza.

Os caminhoneiros também estão vendo com bons olhos a entrada no novo produto. Entretanto, a maior preocupação é em relação ao aumento de despesas. “O S-10 tem um preço diferenciado. O nosso receio é que o Governo anuncie outros aumentos, o que impactará os custos do transportador e do caminhoneiro, que já não são baixos”, comenta José Marcelo Oliveira, dono de transportadora.

Por outro lado, ele considera importante a adoção de combustíveis menos poluentes no Brasil. “Além dos benefícios para o meio ambiente, o S-10 também melhora o desempenho dos motores, reduzindo a emissão de fumaça e aumentando a vida útil do lubrificante”, frisa.

Na verdade, o diesel S-10 é um grande avanço na matriz energética brasileira. Até alguns anos atrás, o diesel brasileiro era um dos mais poluentes do mundo.

“A categoria apoia esse tipo de medida. Mas é preciso também fornecer informações para os caminhoneiros. Sempre que são lançadas novas tecnologias, temos muitas dúvidas. E cada um diz uma coisa. Campanhas informativas são fundamentais para que possamos cumprir às determinações e também aproveitarmos os benefícios desse novo combustível”, opina Célio dos Santos, caminhoneiro há dez anos. 

Portanto, motorista, procure abastecer em postos que sejam de sua confiança, fique de olho no combustível e cuide de seu caminhão, promovendo a limpeza necessária do tanque e do sistema de injeção, a fim de garantir todos os benefícios que o diesel S-10 promete proporcionar ao seu veículo.

Data: 18 de fevereiro de 2014
Postado em: Sustentabilidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.