Começam os testes com o dispositivo de identificação eletrônica dos caminhões

Data: 06 de junho de 2017

1-07062017-2

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) está iniciando os testes do processo de identificação eletrônica dos caminhões no País, a TAG, que passará a ser obrigatória para os veículos automotores de cargas inscritos no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC).

Os testes estão sendo feitos no Ecopátio Cubatão, no Estado de São Paulo. O local é um ponto estratégico para os caminhoneiros, pelo alto fluxo de veículos que diariamente se deslocam ao porto de Santos (SP).

Atualmente, há o registro de mais de um milhão de veículos automotores de cargas no Brasil. O funcionamento do dispositivo será com base em uma chave eletrônica, que será associada à identificação do veículo e do transportador, a partir de dados da ANTT. Assim que as antenas coletarem essa chave no registro de passagem, serão verificados os dados do transportador e do veículo.

Trata-se de uma tecnologia baseada na comunicação por radiofrequência, processo similar aos sistemas de arrecadação eletrônica implantados nos pedágios. Nos pontos de registro de passagem, além das antenas, serão instaladas câmeras de leitura eletrônica de caracteres para identificação das placas dos veículos. Tanto a antena como a câmera identificarão os veículos e registrarão a passagem, indicando local e tempo, e o registro será comparado à base de dados da agência reguladora.

O processo de fornecimento da TAG será realizado pelas Administradoras de Meios para Arrecadação Eletrônica de Pedágio (AMAPs) e pelas fornecedoras de Vale-Pedágio obrigatório que manifestaram interesse e forem consideradas aptas pela ANTT.

Esse tipo de tecnologia traz alguns benefícios nos processos logísticos de transporte terrestre no Brasil. Por meio do dispositivo, será possível coletar informações reais sobre a movimentação de cargas nas rodovias brasileiras; a origem e o destino das viagens realizadas; e os fretes praticados. Os dados são essenciais para fomento e planejamento de políticas públicas no setor.
Para o transportador, a identificação eletrônica será fundamental para formalizar o mercado; dificultar a clonagem de veículos; comprovar formalmente renda; reduzir tempo de pedágio; otimizar o fluxo e a espera nos portos, como no Porto de Santos; bem como aumentar a competividade, diante da regularização e fiscalização da atividade.

Já para a sociedade, a profissionalização do setor possibilitará a redução da evasão e de acidentes nas praças de pedágio, assim como a diminuição de custos socioambientais (poluição, por exemplo).

A Agência já divulgou a lista dos autorizados para fornecimento do dispositivo, que são Administradoras de Meios para Arrecadação Eletrônica de Pedágio e fornecedoras de Vale-Pedágio obrigatório, consideradas aptas pela Agência. Essas empresas têm até o fim de agosto para começar a realizar o serviço de fornecimento, instalação e vinculação do dispositivo de identificação eletrônica.

Fornecedores autorizados da TAG

– CGMP-Centro de Gestão de Meios de Pagamentos S.A. CNPJ: 04.088.208/0001-65
– Conectcar Soluções de Mobilidade Eletrônica S.A. CNPJ: 16.577.631/0001-08
– DBTRANS Administração de Meios de Pagamentos Ltda. CNPJ: 04.467.870/0001-26
– Move Mais Meios de Pagamento Ltda. CNPJ: 15.266.912/0001-87
– Repom S.A. CNPJ: 65.697.260/0001-03
– Roadcard Soluções Integradas em Meios de Pagamentos S.A. CNPJ: 12.815.827/0001-32

 

Por: Redação Na Boléia

#

#

Data: 06 de junho de 2017

4 thoughts on “Começam os testes com o dispositivo de identificação eletrônica dos caminhões”

  1. Araujo disse:

    bom dia nossos caminhos foram todos etiquetados com o novo adesivo da ANTT, porem diversos caminhões estão apresentando problemas nos adesivos , estão se espedaçando tudo , apagando, produto de péssima qualidade , 6 meses de uso em carros novos estamos tendo problemas…..a

  2. Giuliano Bretanha disse:

    boa tarde meu caminhão foi colocado o adesivo da ANTT, a dois meses e já esta descolando e ficando desbotado da péssima condição. sendo que o outro durava bem mais, isso e motivo para levarmos multa já que temos um brasil cheio de corruptos. Antes ANTT era gratuita agora já tem que pagar, isso so existe no Brasil mesmo, onde nos caminhoneiros temos que pagar qualquer coisa que seja inventado, Para choque fitas adesivas, pedágios caríssimos e agora a nova moda da ANTT.

    1. Madalena disse:

      Giuliano, agradecemos seu contato. Sugerimos que você entre em contato com a ANTT e coloco sua reclamação em relação ao adesivo. É importante manifestarmos nossos descontentamentos. Só assim conseguiremos contribuir para o aprimoramento dos serviços no País. Abs

    2. Madalena disse:

      Giuliano, obrigada pelo comentário. Na verdade, vários leitores relataram esse problema. Acreditamos que a solução deva vir da própria ANTT, que deve se responsabilizar pelo ocorrido em relação aos adesivos. Abs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.