CNT apresenta série histórica sobre o transporte no Brasil

Data: 22 de agosto de 2018

2-22082018-minA Confederação Nacional do Transporte lançou o Anuário CNT 2018, que traz dados sobre dimensões, abrangência, capacidade e produtividade do setor transportador. O documento está publicado na íntegra em www.anuariodotransporte.cnt.org.br.

A série histórica conta com mais de 500 arquivos e 800 tabelas que mostram a evolução de todos os modais (rodoviário, ferroviário, aquaviário e aéreo), ao longo dos últimos anos, em diferentes abordagens. Foram consolidadas informações dos setores público e privado, inclusive resultados de pesquisas elaboradas pela própria CNT.

O objetivo do levantamento é estruturar o acesso a informações sobre o transporte no Brasil e estimular estudos e ações que contribuam para a dinamização do setor transportador brasileiro. Uma análise mais aprofundada das estatísticas disponíveis possibilitará a identificação de mudanças no setor ao longo do tempo, seus avanços e desafios. A leitura do documento permite conhecer as estatísticas brasileiras sobre movimentação de cargas e de pessoas, infraestrutura, produção e frota de veículos e composição do setor.

A análise da série histórica mostra que, no transporte rodoviário, responsável pela movimentação de 61% das cargas e de 95% dos passageiros, a malha rodoviária pavimentada cresceu apenas 0,5% no período entre 2009 e 2017.

Nesses oito anos, a proporção de rodovias pavimentadas se manteve a mesma: apenas 12,4% do total de 1.720.700,3 quilômetros. Esse dado evidencia um descompasso com o crescimento da frota de veículos, que foi de 65,4% no período de 2009 e 2017.

Outro dado que chama a atenção é a evolução do setor ferroviário. Apesar do baixo investimento público em ferrovias, o Anuário aponta que, de 2016 para 2017, houve o maior crescimento do número de locomotivas em operação desde o início da série histórica, 21,2%. Esse resultado proporcionou um aumento de 10% no volume de toneladas transportadas por quilômetro útil (TKU) no mesmo período.

No transporte aquaviário, houve aumento de 8,5% na movimentação de cargas em 2017 em relação ao ano anterior. Já no setor aéreo o documento aponta também um aumento de 8,9% no volume de carga paga e correios transportadas em relação ao ano de 2016.

Em 2017, o transporte doméstico apresentou redução de 2,1% no número de voos em comparação com 2016.

Ao analisar o documento, o Presidente da CNT, Clésio Andrade, ressalta que a organização de dados e de informações sobre o transporte tem papel estratégico na elaboração de um sistema de transporte eficiente. “O Anuário indica avanços e desafios a serem superados, oferecendo aos transportadores subsídios para aperfeiçoar o planejamento e a gestão de seus negócios. Ao mesmo tempo, esse conjunto de informações é uma contribuição da CNT para os governos e a sociedade na elaboração de políticas públicas de transporte”.

Clésio Andrade alerta que os dados do Anuário reafirmam a necessidade de realização de fortes investimentos em infraestrutura de transporte. “A precariedade e a insuficiência de rodovias, portos, aeroportos e hidrovias é uma barreira à retomada do desenvolvimento econômico do país. O Brasil precisa adotar, com urgência, uma política de Estado para infraestrutura com o objetivo de criar um novo ciclo de desenvolvimento sustentável, com geração de empregos e renda no volume de que o país necessita”, comenta.

Por: Redação Na Boléia

Data: 22 de agosto de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.