[“Calote amigo”] Tecnologia faz cobrança e evita aborrecimentos

Data: 17 de abril de 2017

6-17042017Quando o crédito na praça acaba, os próximos alvos são amigos e parentes; Site ajuda a evitar perda de relacionamentos

Pesquisa divulgada no dia 10 de março, pelo do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com consumidores negativados revela que 17% estão inadimplentes porque emprestaram o nome para terceiros, principalmente amigos (31%) e irmão (22%).

E como evitar calotes de pessoas próximas a nós? De acordo com Anapaula Iacovino Davila, consultora e professora de Economia da FAAP, recuperar cada centavo do que se emprestou para familiares e amigos demanda muita diplomacia, análises e paciência.

“Antes de qualquer ação, pense: o que será mais importante para você? O dinheiro ou a amizade? Se for o dinheiro, evite empresar e diga NÃO! Agora, se empresar para uma pessoa “quebrada”, depois para cobrar você precisa usar a diplomacia e delicadeza para conversar e explicar”.

E se a pessoa é mais importante do que o dinheiro emprestado? “A delicadeza no convencer o outro é mais importante ainda. Se você cobrar de forma bruta, pode perder a razão e, aí então, corre-se o risco de ficar sem dinheiro e sem a amizade”, garante a economista, que orienta cidadãos a não se endividarem.

Ainda, de acordo com Anapaula, usar tecnologias para organizar finanças que envolvam familiares e amigos podem colaborar muito para se evitar calotes. “Uso das tecnologias facilita muitíssimo a organização das contas. Seja para pagar ou para receber. Se tiver mecanismo de cobrança, melhor, porque facilita no caso de precisar cobrança para quem emprestou. Além de evitar o constrangimento, reduz o desgaste pessoal”.

Eventos entre amigos: Com a economia ainda fragilizada, muitas pessoas estão sem dinheiro para diversão e optam por realizar eventos em casa, com amigos ou familiares. Mas até na hora de dividir as despesas o “calote amigo” aparece. É o que constata Otávio Dutra, um dos criadores do Partyou, site que ajuda a organizar eventos não profissionais, sem se preocupar em levar calotes e perder dinheiro e amizades.

“Já passei por essa situação de adiantar um pagamento para um amigo que vinha para um jogo de futebol entre amigos e levei calote. Agora, usamos o site para arrecadar dinheiro, lembrar os amigos sobre os pagamentos e garantimos a diversão, sem perder a amizade”, comenta Dutra.

Como funciona? Tudo é muito simples. Basta que o organizador se cadastre na ferramenta www.partyou.com.br e convide os amigos que irão participar da atividade, enviando por e-mail, WhatsApp, Facebook, Trello ou Ever Note. Recebido o convite, os amigos entram na aplicação e já encontram tudo especificado e com o valor que devem pagar. O pagamento pode ser realizado por cartão de crédito e parcelado em até 2x. Brevemente será oferecida a função de boleto bancário.

Por: Redação Na Boléia

Data: 17 de abril de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.